Se você está passeando pela Ásia não deixe de visitar Hong Kong. Conhecida como a “New York” da Ásia a cidade é uma unidade administrativa especial da China e não precisa de visto para passaportes brasileiros e nem exige o certificado de vacinação internacional para a febre amarela. Porém se você se destina a outros lugares da Ásia verifique a exigência, pois este certificado precisa ser tirado com no mínimo 10 dias antes da viagem para o tempo de incubação da vacina. Para maiores informações sobre o certificado acesso o link da Anvisa:

http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/Anvisa+Portal/Anvisa/Cidadao/Assunto+de+Interesse/Certificado+Internacional+de+Vacinacao.

Hong Kong é uma unidade administrativa especial, isso significa que tem autonomia em todas as áreas menos Política externa e militar.

Hong Kong está localizada no sul da China. O território é constituído principalmente pela Ilha de Hong Kong, Lantau, Península de Kowloon e os Novos Territórios.

As línguas oficiais são Chinês e Inglês, porém o chinês não é especificado pelas autoridades, mas o que é falado nas ruas é o cantonês, bem diverso do mandarim. Falando inglês você consegue fazer muitas coisas, a maior dificuldades são com os taxis, daremos mais dicas sobre isso mais pra frente.

A moeda é o dólar de Hong Kong que vale quase ¼ do Real. Então fazer a conversão é fácil, divide o valor em Dólar de Hong Kong por quatro e terá o equivalente ao Real.

Cuidado no trânsito, você terá que se acostumar a olhar sempre para os dois lados, pois a mão de direção em Hong Kong é a mão inglesa, invertida em relação à do Brasil.

Chegando ao aeroporto de Hong Kong, logo na saída do desembarque procure o balcão para adquirir o seu Octopus. Octopus card é um cartão utilizado para transporte público (metro, ônibus, minibus, trem) e também é aceito em algumas lojas. Você pode comprar o especial de turista Airport ExpressTravel Pass que dá direito a uma ida e volta do aeroporto pelo airport express e mais três dias gratuitos no MTR. O cartão pode ser carregado em qualquer máquina de “add value”, porém somente aceita notas de $100 ou $50 ou nas lojas Seven eleven que aceitam quantias maiores em dinheiro. Mais informações no site: http://www.mtr.com.hk/eng/fares_tickets/tf_index.html

Se tiver um smartphone vale a pena comprar na Circle K ou Seven-Eleven um cartão com internet vai facilitar para acessar alguns aplicativos interessantes que facilitam a vida em Hong Kong.

Para ônibus e minibus você terá que colocar crédito ou pagar com moedas. Transporte público é muito barato, em torno de $4 a $8 dólares de Hong Kong uma passagem de ônibus. O sistema calcula pela distância a percorrer, então, se estiver próximo do ponto final quando entrar no ônibus, a tarifa será mais barata.

O MTR considera um sistema parecido, quando entra na estação ele marca no cartão Octopus, e calcula quando você sai da outra estação de acordo com a distância do trajeto. O melhor é o tempo de espera, que é de no máximo 3 minutos. Dependendo do horário algumas estações são lotadas, mas não tem correria nem empurra-empurra porque basta esperar mais 3 minutos e virá o próximo.

Isso é algo interessante para você saber sobre as filas em Hong Kong. Ninguém vai te empurrar na fila, mas se você der um espaço eles entram na frente, isso é normal.

O MTR também possui um aplicativo para smart phone com as linhas de metro e as saídas das estações, pode facilitar bastante para encontrar o endereço procurado.

http://www.mtr.com.hk/eng/whatsnew/mtrmobile.html

Nas escadas rolantes tenha sempre o cuidado de ficar no lado direito, o lado esquerdo é para os apressados.

Hong Kong é uma cidade muito segura com relação a crimes, inclusive no período noturno, pode-se caminhar à noite sem o risco de assaltos.

Os motoristas normalmente só falam cantonês, seja de ônibus, minibus ou taxi. No ônibus tem sempre a informação da próxima parada em inglês e há a chamada para solicitar a parada. A dificuldade começa no minibus e taxi, no minibus não tem chamada para solicitar parar e se você quiser informação do motorista não conseguirá nenhuma. Mas sabendo onde quer descer basta solicitar “next stop, please” que isso eles entendem.

Para os taxis procure sempre conseguir o endereço do lugar em chinês para apresentar para eles. Pergunte no saguão do hotel e peça a eles para escreverem. Caso você seja fã de aplicativos existe um que funciona para iphone e android é o Hong Kong Taxi translator, custa USD 0,99. Simplesmente vai criar um card na tela do smartphone com o endereço que você digitou, em Chinês.

Comidas: o principal a se dizer sobre comida chinesa é: esqueça o que viu no Brasil, algumas coisas podem ser até similares, mas a ideia que temos de comida chinesa é mais ou menos como querer comer uma moqueca baiana no Rio Grande do Sul ou um bom churrasco gaúcho no sertão do Ceará. A comida é bem diversificada e regional. Se você gosta de experimentar vá em frente, senão o estilo de Pequim será o mais próximo com o que conhecemos cujos sabores são meio agridoces.

Se não é adepto da comida chinesa não se preocupe, existem várias opções de restaurantes com culinárias do mundo inteiro, com certeza acabará encontrando algo. Para facilitar existe um aplicativo “Open Rice Hong Kong” que pode encontrar as opções de acordo com preço, distância e tipo de cozinha que mais lhe interessa.

Tempo em Hong Kong: O verão ocorre de Junho a Agosto e é extremamente quente e úmido, não sendo, portanto a época mais agradável para visitar. Dezembro a Fevereiro é muito frio, também não é muito agradável para caminhar por hong Kong, a primavera e o outono são as melhores épocas para visitar, mas confira as previsões, pois como tem ocorrido no mundo inteiro, cada vez menos temos vivenciado todas as estações do ano. Um bom site para as previsões de Hong Kong é o Observatory, que também possui aplicativo para Android e Iphone para enviar os alertas de tempestades.

http://www.hko.gov.hk/contente.htm